23 julho 2013

Sinais


Eu já não me preocupo mais com a saudade, mas sim com a ausência dela!


Tassya B.

19 julho 2013

E quem quiser que conte outra...


Chega uma hora que a brincadeira perde a graça, o riso some e o palhaço para de merecer o perdão. Nessas horas, você começa a recolher a suas lágrimas derramadas acreditando que havia cura para o tal vício da mentira.  Procura os sorrisos mais abertos e livres que você já deu, muito antes mesmo de esbarrar nesse circo todo que virou a sua vida.

O Palhaço fica de fora assistindo a tudo, duvidando de cada passo seu, tentando te fazer vacilar, cair e mais uma vez voltar para a jaula do leão onde o domador te espera sorrindo, com um beijo nos lábios e uma punhalada nas costas. Você pondera, olha para o leão, triste, engaiolado, se ele pudesse gritaria para você fugir, afinal são anos também sendo enganado, vivendo uma coisa que não é. Sendo forte por aparência, e covarde por misericórdia.

O circo faliu e ele tinha tudo para dar certo se as coisas tivessem seguido da forma mais honesta possível. Você se levanta, o palhaço engole o riso. Seu passo cessa e ele agora tem medo. Você se vira, se despede das paredes que um dia já foram coloridas e do chão pisado tantas vezes por esses pés tão cansados. Promete não olhar para trás. Você não vai voltar.

O riso acabou, a cortina se fechou, o show perdeu o brilho. Silêncio total no picadeiro, só é possível escutar a tristeza do palhaço, que agora chora, pois seu nariz vermelho acabou de ir embora.

Tassya B.



18 julho 2013

Em construção...

Saudades de escrever nesse espaço. Simplesmente chegar e deixar as idéias serem derramadas.
Ultimamente ando com pressa, com preguiça ou com privações. Essa ultima opção sempre é a que está em primeiro lugar na hora de postar alguma coisa, pois eu até posso escrever algo, mas na hora de passar pelo filtro "deve ou não deve ser publicado" eu acabo clicando em cancelar.
Já me roubaram tantas coisas, risos, sorrisos, lágrimas, tempo.. Não quero perder mais nada para mais ninguém. É tempo de renovação!!!
Estou bem, estou feliz, a pele está ótima, o cabelo está bom, o corpo tá saudável e ativo.
Estou construindo minhas pontes... Sem limites, sem barragens!

24 maio 2013

De quem é a culpa?




Que besteira tentar colocar a responsabilidade da sua felicidade nas atitudes de alguém.
Você escolhe o que quer para sua vida, bem como quem você quer e por quanto tempo.

Atraso de vida tentar achar que tudo que acontece de triste, desde o dia nublado até a última lágrima derramada, é culpa da outra pessoa. Por que na verdade, ela está vivendo, vivendo a vida dela, independente de como você a enxergue. Esse é o ponto, por que esperar a mesma doação e entrega, quando você sabe que não vai vir... Sabe por quê? É você quem está errado!

Está errado em ficar em casa esperando uma visita ou até mesmo um telefonema que não vai acontecer, porque a pessoa já está lá fora fazendo algo que ela julga mais importante no momento. Errado em abandonar amigos e oportunidades, só porque a outra pessoa te faz acreditar que ao lado dela “Já basta”.

A verdade, é que para você, tudo está uma verdadeira droga. As desconfianças não somem, o medo continua, a solidão vive batendo na porta e a vontade de provar que você merece muito mais vive grudado em você. Bom, para a outra pessoa, tudo isso às vezes nem é percebido ou digno de ser levado em consideração.

Se arrume, se perfume, saia sozinho. Você vai se surpreender com as coisas que vai descobrir e sentir. Mas vai tranquilo, sem expectativas, somente para curtir a sua companhia. As vezes você tem a sorte de reencontrar antigos amigos, começar um novo circulo de convívio e perceber que é capaz de andar sozinho tranquilamente.

Boa sorte!
Saia do lugar, mude, viva para você e SEJA FELIZ!!!

By Tassya Bastos

23 maio 2013





Esse silêncio não poderia estar fazendo mais barulho que agora...
Tantas coisas passam pela cabeça. Dúvidas, angustias, medos, vontade de tomar um postura. Junto minhas forças e fujo dos espelhos. Não quero ninguém me lembrando que preciso ser coerente e manter a mente no lugar . Quero enlouquecer, desequilibrar.
Me jogo numa multidão de confusão e não quero pensar em nada além do que eu vim fazer aqui. O que estou fazendo aqui? Por que? Só me resta continuar perdida e convencida de que em algum momento alguém virá me salvar. Será?

16 agosto 2012


Como se o sol morasse dentro do quarto, ela se levantou mais uma vez, em uma manhã que deveria ser normal para o resto do mundo. Passou as mãos nos cabelos, reparou o embaraço que resultou da véspera mal dormida, os ombros doíam e os olhos pareciam estar carregando pesos extras daquele despertar. Ela olhou para o travesseiro e pensou o quanto queria, ou melhor, o quanto deveria voltar a se deitar, mas o sol continuava brilhando dentro do recinto e ele não parecia querer arredar o pé de lá. Aliás, o mundo queria ver ela reagindo, pareciam estar chamando ela para um confronto, mas será que eles não percebiam que ela só queria um pouquinho de paz. Se cada um ficasse no seu canto e ela na sua cama com as luzes apagadas com certeza o dia começaria e terminaria melhor. 
Nem tudo é como gostaria que fosse, ninguém disse que seria fácil. Ela só queria que tudo voltasse ao começo, quando ela ainda guardava o sol dentro de si e não tinha nada a temer.



15 agosto 2012


- Eu não gosto nunca de nada e gostei tanto de você...
- É?
- Droga!
- O quê?
- Eu falando de gostar.
- E daí?
- E daí que vai acontecer tudo de novo...
- O quê?
- Vou sentir demais, falar demais, escrever demais... você vai embora.
(Tati Bernardi)

Tudo novo, de novo.




Eu estive fora por muito tempo vivendo como se não estivesse viva, em mundo paralelo de fantasias, sonhando acordada, flutuando no impossível. Então, como tudo tem uma hora para acabar, a minha magia chegou ao fim, e eu começarei novamente...
Difícil? Complicado?
Não sei. Só vou saber se tentar. 

13 agosto 2012



Eu poderia estar finalizando bem esse dia...
Eu realmente poderia estar terminado muito bem esse dia, mas essa habilidade monstra que existe dentro de mim não permitiu que minha segunda-feira, ou melhor, que minha semana, começa-se de maneira decente.

Alguém aí pode me explicar porque eu tenho que sair atrás de coisas que não me diz respeito??? Coisas que não pertenceram ao meu passado, mas que mesmo assim a doida vai atrás, encontra e ainda fica analisando as situações. Fala sério, acho que sofro de algum disturbio investigativo crônico, só pode. Eu deveia ser utilizada como "material" de pesquisa e estudo.

Agora estou aqui, louca de vontade de fazer perguntas, esganar alguém e jogar tudo para o alto. A troco de quê, alguém pode me responder? Pois, eu sei. Estou atrás de algo que me mostre que o tempo não foi perdido, porém mais que isso, quero provas que meu futuro não vai ser cópia de um outro passado mal sucessido.

Simples Desejo


Que tal abrir a por do dia-dia? Entrar sem pedir licença, sem parar pra pensar.
Pensar em nada...
Legal ficar sorrindo à toa, sorrir pra qualquer pessoa, andar sem rumo na rua.
Pra viver e pra ver não é preciso muito. Atenção, a lição está em cada gesto.
Tá no mar, tá no ar, no brilho dos seus olhos.
Eu não quero tudo de uma vez, eu só tenho um simples desejo:
Hoje eu só quero que o dia termine bem!
(Luciana Mello)