16 agosto 2012


Como se o sol morasse dentro do quarto, ela se levantou mais uma vez, em uma manhã que deveria ser normal para o resto do mundo. Passou as mãos nos cabelos, reparou o embaraço que resultou da véspera mal dormida, os ombros doíam e os olhos pareciam estar carregando pesos extras daquele despertar. Ela olhou para o travesseiro e pensou o quanto queria, ou melhor, o quanto deveria voltar a se deitar, mas o sol continuava brilhando dentro do recinto e ele não parecia querer arredar o pé de lá. Aliás, o mundo queria ver ela reagindo, pareciam estar chamando ela para um confronto, mas será que eles não percebiam que ela só queria um pouquinho de paz. Se cada um ficasse no seu canto e ela na sua cama com as luzes apagadas com certeza o dia começaria e terminaria melhor. 
Nem tudo é como gostaria que fosse, ninguém disse que seria fácil. Ela só queria que tudo voltasse ao começo, quando ela ainda guardava o sol dentro de si e não tinha nada a temer.



Um comentário:

Sandro Zanoteli Koppe disse...

Tassya,muito legal o seu texto. Você escreve muito bem. Parabéns!