19 dezembro 2011

Ao revoir...


Sabe aquela antiga sensação de querer jogar tudo para o alto???
Saudades de risadas altas, madrugadas intermináveis, piadas internas e a sensação de que ninguém poderia abalar meu mundinho.

Eu devia ter construídos muros altos e fortes como havia me prometido... Ficou para próxima.
Será que é possível se enganar tantas vezes seguidas??? A resposta para essa pergunta já me foi dada há tempos, mas a teimosia existente me faz insistir sempre mais uma vez.
A verdade é que o cansaço já tomou conta, e a bem da verdade, a  fé no impossível foi tomar um chá com a saudade.
Eu devo estar em processo de  desequilíbrio emocional. Na verdade, estou começando achar que o equilíbrio emocional está voltando novamente.
Isso é bom???
Não sei
Depende
Pra quem?

Tudo começa a não fazer sentindo quando o repertório musical começa a mudar, as noites não parecem tão solitárias assim (a não ser pela ausência de luzes, pulseiras vips e open bar), os vestidos voltam a encurtar, os saltos começam a subir e a vontade de mandar tudo a m**** é 1000 vezes mais instigante que tomar um sorvetinho no domingo de tardinha.

Estou começando a não sentir saudades
Estou começando a voltar sentir saudades

Acho que o mistério está escondido nas mentiras que não foram contadas. Talvez se eu volta-se atrás e procura-se por elas... Não, esquece. Além de ser tarde demais eu também não quero mais.
...
Parei de escrever, fiquei um pouco pensativa (novidade?) e por incrível que pareça dessa vez não chorei.
A risada veio fácil quando pensei no que antes doía e hoje me faz enxergar quantos murros eu dei atoa.
Felizmente estou conseguindo exorcizar os sentimentos. Nem sei se vai sobrar alguma coisa. Eu acho que ainda posso me machucar mais se eu quiser. Mas, eu quero?
Eu devo ser uma idiota por ainda me preocupar, sonhar e desejar. Minha sorte que a validade está quase vencendo e logo logo nada mais vai surtir efeito.
O triste é saber que quando for tarde demais eu vou ganhar o que passei desejando por algum tempo.
Mas, a dor não será mais minha!

Que alivio. Talvez eu já devesse desejar sorte e vida longa.
Mas vou deixar que cada um resolva e cuide de suas próprias feridas.
Hoje eu só posso me ocupar de mim.
A verdade é não estou me preocupando com mais nada.
Na verdade tudo está muito divertido e começando a fazer muito sentido!
Boa sorte para quem segue, agradeço a companhia, mas dá licença que é a minha vez de sentar na janelinha!

 Tassya Bastos.        

17 dezembro 2011

Trilha Sonora


Tenho andado distraída, impaciente e indecisa.
Ainda estou confusa, só que agora é diferente. Tô tão tranquila e tão contente!
Quantas chances desperdicei.
Quando o que eu mais queria, era provar pra todo o mundo que eu não precisava provar nada pra ninguém.

Me fiz em mil pedaços pra você juntar e queria sempre achar explicação pro que eu sentia.
Como um anjo caído, fiz questão de esquecer que mentir pra si mesmo é sempre a pior mentira.
Mas não sou mais tão criança a ponto de saber tudo.
Já não me preocupo se eu não sei porquê.



Às vezes, o que eu vejo  quase ninguém vê.
E eu sei que você sabe quase sem querer, que eu vejo o mesmo que você.

Tão correto e tão bonito, o infinito é realmente um dos deuses mais lindos.Sei que às vezes uso palavras repetidas, mas quais são as palavras que nunca são ditas?


Me disseram que você estava chorando, e foi então que percebi como lhe quero tanto.



Já não me preocupo se eu não sei por que.
Às vezes, o que eu vejo, quase ninguém vê.
E eu sei que você sabe quase sem querer, que eu quero o mesmo que você.

(Quase sem Querer - Renato Russo)

15 dezembro 2011

Existem lembranças que não deveriam ser resgatadas. Elas fazem com que os piores sentimentos voltem com a mesma força que surgiram tempos atrás.
A necessidade de descobrir um erro, solucionar um enigma e saciar uma duvida, sempre faz com que você relembre momentos que deveriam ter morrido dentro de você.


Vira e mexe me pego revirando o baú de velharias. É um sentimento quase masoquista querer tocar numa ferida que me causou tanta dor.
Entretanto, de vez em quando estou lá, arrancando os curativos e derramando álcool em cima de cada ferida exposta. Ironicamente, eu já me preparo para dor e simplesmente aprecio a possibilidade de testar os meus limites e tentar sufocá-la.
Sinto-me como se quisesse gritar para o mundo que a ferida ainda lateja, que ela ainda está inflamada e que a cura está longe de ser descoberta.
As lembranças me atingem como um vapor quente e seco. Tento conter lágrimas e esconder meus medos, mas acabo lembrando que sou fraca e me deixo ser guiada por sentimentos que já conheço bem.


A raiva, o medo, a tristeza, a decepção, a angustia... Tudo vem acompanhado de uma dose caprichada de mágoas e incertezas.
A dor é tão forte que extrapola os limites do emocional, ela se torna física.
Começo a me arrepender das decisões tomadas, das escolhas feitas e das palavras ditas. Todavia, me vejo no mesmo lugar comum e começo a preparar novos curativos para disfarçar a dor.


Talvez um dia alguém descubra a cura desse mal.
Quem sabe surja alguém capaz de ajudar a limpar o baú velho e usado.
Para ser sincera, me basta um pouco de fé no impossível e provas de que milagres existem!


Tassya Bastos.

07 dezembro 2011

Onde a verdade mora???


Anota aí o endereço, porque eu não vou repetir novamente.
A verdade mora exatamente no local onde você perdeu o respeito!
Por isso, dê meia volta, vá procurar o respeito perdido e aproveita e tome um chazinho com a verdade.


Ninguém nunca disse que ser honesto iria transforma a sua vida em um mar de rosas. Nunca afirmaram que a verdade não faz chorar e alivia as dores. Também não te garantiram que sendo verdadeiro iria atrair somente pessoas verdadeiras! Mas, posso afirmar que a verdade trás uma coisa que você não encontra em nenhum outro lugar:Consciência tranquila.
A mentira só acumula mágoas, coleciona cicatrizes e convive com a desconfiança. O perdão só consegue andar ao lado da mentira quando ela desiste de lutar, levanta a bandeirinha branca e chama a verdade para ajudar a limpar os ferimentos.

Existe uma frase que diz: "Quem usa muito a palavra desculpa, não conhece a palavra respeito".
Quantas vezes você é capaz de perdoar uma pessoa? Quantas vezes você é capaz de acreditar em uma pessoa?
Quem mente e está acostumado com o perdão, não conhece o respeito e nem a insegurança. Não sabe o quanto é duro querer perdoar e esquecer, mesmo sabendo que logo será novamente ferido. Que vive da mentira esqueceu que ela é feita de pequenos e grandes erros, uma hora ou outra a verdade consegue soltar as amarras que a prende.
Sinceramente, não sei de quem tenho mais pena. Se é daquele que vive com a mentira ou de quem sofre com a mentira. Porque quem vive com ela nunca será verdadeiramente feliz, nem verdadeiramente amado. Nunca vai conhecer os prazeres de olhar nos olhos de alguém, dizer que a ama e ser acreditado. Jamais vai saber o quanto é maravilhoso merecer a confiança de quem se ama.

Só um aviso:
"Não vai demorar muito. Ela vai se cansar!
Suas desculpas não vão funcionar e nem seus beijos vão surtir efeito.
Ela vai se levantar e enxergará um horizonte de possibilidades.
Vai começar a te esquecer, e suas mentiras não vão mais machucar, ao contrário, vão afastá-la de você.
Vão surgir pessoas que mostrem pra ela o tempo perdido, as lágrimas gastas e os machucados feridos. Essas mesmas pessoas vão oferecer abrigo, conforto e curativos!
Ela vai se despedir de você com saudades do que poderiam ter sido, mas o arrependimento nunca fará parte do seu dicionário. Pois ela sabe que não se pode casar com a mentira, nem se é feliz sendo refém da ilusão.
Ela quer andar de mãos dadas com a verdade, dormir do lado da honestidade e brindar a vida com a Fé jamais perdida."

Caso se importe, o endereço está lá em cima. Não tropece do meio do caminho e nem desista de provar o chazinho.

Tassya.

Etc.


Queria poder chegar aqui e falar exatamente tudo o que estou pensando. Porém, a sensatez me faz avaliar e controlar as palavras.
Tudo na minha vida é assim. Estou sempre me "podando", me colocando limites. 
Isso não é uma qualidade quando você percebe que tanto auto-controle só te faz ficar presa a uma ilusão. As pessoas mentem tão fácil. Mascaram as verdades. Olham nos teus olhos, dizem o que você quer escutar e não o que realmente pensam.
Um dia vou encontrar pessoas iguais a mim, que queiram construir relações baseadas na verdade e honestidade. Até lá eu vou criando coragem para deixar de lado esse "meu jeito" de ser, que até o exato momento só me trouxe cicatrizes e feridas abertas.

Isso é apenas um desabafo, no único lugar onde sei que me permito florescer!