30 novembro 2010


Juro solenemente...

A verdade não consola. A verdade não alivia. A verdade não transforma. Acontece que a verdade prevalece sempre e eu tenho o dom de desvendá-las. ;)
Não adianta levar uma mentira adiante, cercá-la de proteção para que nunca seja descoberta, criar mais mentiras para tornar a primeira mais real e verdadeira, até mesmo para si próprio. Pois, em algum momento, pode acreditar nisso, a verdade vai aparecer.
A pessoa que mente, nem sempre inventa uma mentira para sair de uma encrenca ou para se ver livre de uma situação. Eu creio que a mentira seja um vício. Existem pessoas que mentem por prazer de enganar, por prazer de interpretar, até mesmo para ter alguma história para contar. Não conseguem lidar com a verdade, a sua verdade.
O grande problema desses ‘atores’ e ‘escritores’ frustrados, é que em algum momento de sua vida eles irão entrar em contradição, o final da história vai mudar e a interpretação não saíra tão perfeita. E meus amigos, depois que a máscara cai e o nariz do palhaço sai de cena, não existe roteiro perfeito no mundo que recupere a confiança perdida.
A verdade existe simplesmente porque faz parte da rotina, ela não foi criada e nem inventada. Justamente por isso, ela sempre aparece para limpar a sujeira que a mentira fez.
Então, não minta! Cuidado com as mentirinhas “bobas”, elas podem tornar a sua vida uma verdadeira bagunça. Não existe mentira que termine com um final feliz, todo mundo sorrindo e confianças intactas. Sempre vão restar resquícios de um palhaço com um circo mal armado e um roteirista com uma história mal contada.

Porém, se mesmo assim, achar que vale a pena mentir para mim... Faça um favor para nós? Atravesse a rua e finja que não me viu, deve haver outras pessoas interessadas na novela que irá contar.

Tassya.

Nenhum comentário: