28 outubro 2010

Mas é claro que o sol vai voltar amanhã...




O que fazer quando você olha para lado e percebe que não tem ninguém ali?

Ninguém para escutar seu soluço enquanto uma lágrima cai dos olhos. Pior, você tem que chorar baixinho para ninguém escutar seus lamentos.
Aí fica claro que a solidão significa muito mais do que simplesmente "estar" ou "ficar" sozinha.

O celular está do meu lado, mas para que serve em um momento desses?
Ligar e se lamentar com a outra pessoa? Atrapalhar a vida alheia, só para dizer que o mundo é uma droga?
Eu não sei ser assim...

Quantos amigos você acha que possui? Quantas pessoas você realmente pode confiar?
Poucos, né!?
Um amigo não se importaria em receber uma ligação e te escutar chorar, não ligaria que você quisesse exterminar o mundo, ficaria do seu lado até o último lamento acabar... seria até capaz de proferir alguns palavrões só para elevar seu humor.

Amigos assim existem, eu sei... Eu sou assim!
Mas quando sou eu a ter que procurar e me lastimar nos ouvidos de um amigo, eu fujo... Escondo-me dentro de um quarto com portas trancadas e torço para que o sono venha rápido, mas ele nunca vem. A cama sempre fica fria ou quente demais, nunca é confortável ao ponto de dar abrigo e fazer relaxar. A cabeça não pára de funcionar e eu só desejo chegar a uma conclusão rápida.

No fim, quando não restam mais esperanças do celular tocar com alguém pressentindo que estou sozinha e precisando de ajuda, quando o cansaço é tanto que nem forças para continuar chorando existem mais... O sono vem.
A noite é sem sonhos, o dia amanhece mais cedo, a dor na cabeça relembra como foi à noite anterior. Olho ao redor e percebo que nada mudou. As decisões tomadas não servem para nada, as conclusões estão vagas e o melhor a se fazer é respirar fundo e esperar... esperar... esperar...

Vida que segue.

Tassya.


Nenhum comentário: